sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

O milagre de Juazeiro

Por Gabriel Carvalho
Uma das histórias mais fantásticas do catocilismo, que remete ao período da Santa Inquisição, é sem dúvida a realização do "Milagre de Juazeiro".

O ano era 1889 - o mesmo da Proclamação da República - o cenário era uma missa celebrada pelo padre Cícero. No momento da comunhão, a hóstia oferecida pelo sacerdote à beata Maria de Araújo se transformou em sangue na boca da religiosa. Segundo relatos, tal fenômeno se repetiu diversas vezes durante cerca de dois anos e rapidamente espalhou-se a notícia de que acontecera um milagre em Juazeiro.

Padre Cícero e a beata Maria de Araújo em tamanho real no museu que leva o nome dele

A pedido de padre Cícero a diocese formou uma comissão de padres e profissionais da área da saúde para investigar o suposto milagre. A comissão tinha como presidente o padre Climério da Costa e como secretário o padre Francisco Ferreira Antero, contava, ainda, com a participação dos médicos Marcos Rodrigues Madeira e Ildefonso Correia Lima, além do farmacêutico Joaquim Secundo Chaves. Em 13 de outubro de 1891, a comissão encerrou as pesquisas e chegou à conclusão de que não havia explicação natural para os fatos ocorridos, sendo portanto um milagre.

Insatisfeito com o parecer da comissão, o bispo Dom Joaquim José Vieira nomeou uma nova comissão para investigar o caso, tendo como presidente o padre Alexandrino de Alencar e como secretário o padre Manoel Cândido. A segunda comissão concluiu que não houve milagre, mas sim um embuste.

Dom Joaquim se posicionou favorável ao segundo parecer e, com base no mesmo, suspendeu as ordens sacerdotais de padre Cícero e determinou que Maria de Araújo fosse enclausurada.

Em 1898, padre Cícero foi a Roma, onde se reuniu com o Papa Leão XIII e com membros da Congregação do Santo Ofício, conseguindo sua absolvição.

No entanto, ao retornar a Juazeiro, a decisão do Vaticano foi revista e padre Cícero chegou a ser excomungado, porém, estudos realizados décadas depois pelo bispo Dom Fernando excomunhão não chegou a ser aplicada de fato. Atualmente, Dom Fernando conduz o processo de reabilitação do padre Cícero junto ao Vaticano.

Em 1977 foi canonizado pela Igreja Católica Apostólica Brasileira.

Passados mais de 100 anos da ocorrência do milagre da hóstia, muita gente aproveita a fama do padre para lucrar com suspostos milagres. É o caso de dezenas de vendedores que comercializam diariamente pomadas, óleos, essências. "Todos com um grande poder de cura", disse um vendedor.

E são exatamente esses produtos os de maior vendagem, juntamente com as camisetas e as imagens do religioso.

2 comentários:

Daniel disse...

Massa, Gabriel! Não sabia desse episódio da hóstia ter virado sangue na boca de uma beata, não! Olha, seu diário me trazendo cultura, rs! Deixa eu continuar a ler agora. Abraço!

Andria Dias disse...

adorei teu blog..."fela da gaita"