sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Padinho Ciço, o mito

Cícero Romão Batista já morreu, mas o Padinho Ciço ainda vive intensamente como um sol que nasce a cada dia, principalmente no coração dos católicos nordestinos.

A fé e a obstinação dos fiéis é coisa que impressiona até os mais céticos.Embora haja exageros, muita gente se desloca de todo o Brasil com destino a Juazeiro do Norte-CE, todos os anos para agradecer os pedidos alcançados.Nas salas de ex-votos espalhadas pelo museu que leva o nome do padre e na casa em que viveu os últimos dias, milhares de objetos retratam os tipos de graça alcançada.

Objetos comuns no museu dos ex-votos

Além de pés, braços, mãos e pernas de cera e madeira - que remetem a curas - há também vestidos de noiva (acreditem), diplomas de faculdade, objetos pessoais e até uma cobra sucuri, morta por um homem que disse, por meio de uma carta, ter sido salvo por um milagre do padre.


Acredite, tem gente que agradece

Um comentário:

Daniel disse...

Você está me deixando com vontade de conhecer Juazeiro do Norte... E todo o seu Ceará!
Um abraço